top of page
  • Foto do escritorJornal do Juvevê

POEMOÇA


Sem notar ela me tira o ar

pelo simples fato de passar...

Se pudesse chegar nela

e sentir a sua boca,

escreveríamos um romance

- mesmo que sem roupa...

Sem nossos tecidos

nos vestiríamos apenas

com nossos sentidos

num corpo só.

Mas ela não tem dó

nem sonha que tira minha paz

pelo simples fato de ser

perfeita demais.

Perfeita para mim

do jeito que eu sempre quis

em meus sonhos mais íntimos

de um dia ser feliz.

Aquela moça merece tudo,

tudo que não cabe no mundo,

tudo que não cabe num poema...

Na verdade ela é tudo,

ela é o meu mundo,

ela é o mais belo poema...

É uma poemoça

que não consigo ler a fundo...

Que pena!...


(Igor Veiga / PERIGOR)

69 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page