top of page
  • Foto do escritorJornal do Juvevê

Paraná é o quinto estado brasileiro em potência instalada de energia solar fotovoltaica

O BRDE investe R$ 334 milhões em projetos solares nos últimos três anos



Segundo a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), o Brasil está em 4º lugar no ranking de países que mais acrescentaram capacidade solar fotovoltaica no mundo, no último ano. Entre os estados, o Paraná é o 5ª em potência instalada. A Região Sul do Brasil se destaca com todos os estados entre os 10 primeiros colocados, Rio Grande do Sul em 3º e Santa Catarina em 6º.

Cada vez mais, as vantagens da energia solar têm levado empresas e investidores a rever sua matriz energética. O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), acompanhando essa tendência, já investiu quase R$1 bilhão em projetos fotovoltaicos, de 2019 até o primeiro semestre deste ano. Só no Paraná, de 2019 até setembro deste ano foram R$334 milhões.

As empresas Veneto Gelato, de Colombo, e Aquarius Panificadora e Confeitaria, de Curitiba, fazem parte daqueles que aderiram à energia solar através do financiamento do BRDE. Sustentabilidade, redução de custos e competitividade são algumas vantagens que levam os empresários a buscar o investimento, com retorno estimado de 15% a 20% ao ano para quem aderir ao projeto.

O presidente do BRDE, Wilson Bley Lipski, destaca os principais benefícios da energia solar: sustentabilidade, redução de custos e maior competitividade no mercado. “Tendo em vista a preocupação do mercado consumidor com as práticas ESG, as empresas com energia solar podem participar de negociações com grandes empresas, o que também resulta em um aumento de faturamento para ela, sinergia e uma parceria que se enquadra ao propósito do banco, o uso do crédito como um bem comum”, explica.


Vantagem do investimento – Ao analisar as vantagens para instalar placas solares em suas empresa, Ricardo Ehler, proprietário da Veneto, decidiu investir no projeto. “É uma conta fácil de fazer: todo esse investimento durante o tempo de pagamento das parcelas, reduz o consumo da rede elétrica e garante quase 20 anos de geração de energia, que não vai sair do bolso”, ressaltou.

O empresário destacou que seus negócios também se alinham com uma nova visão de sustentabilidade e no uso de energias renováveis. Assim, contou que encontrou no BRDE as melhores taxas e condições de crédito da linha de energia fotovoltaica, além dos prazos para pagamento, que permitiram uma melhor organização financeira.

Hoje, aproximadamente 30% dos contratos de energia limpa e renovável do BRDE são para projetos de energia fotovoltaica. “A partir de 2018, a demanda por energia fotovoltaica aumentou bastante. Geralmente quem investe são empresas que têm um gasto maior em energia, então elas fazem esse investimento para redução de custo. Além disso, o Banco do Agricultor Paranaense contribuiu para a maior procura no setor, bem como as políticas públicas de incentivo à sustentabilidade, que alguns municípios possuem”, analisou a gerente de Novos Negócios do BRDE, Thaís Paola Grandi.


Banco do Agricultor Paranaense - O Banco do Agricultor Paranaense é um dos principais projetos visando à sustentabilidade, redução de custos e competitividade no mercado para os produtores rurais paranaenses. Criado em abril de 2021, esse instrumento possibilita ao Governo do Estado conceder subvenção econômica aos agropecuaristas em diversas linhas, entre elas a instalação de equipamentos de energia solar.

Desde seu lançamento até agosto deste ano, a linha de energia renovável formalizou 875 projetos em instituições financeiras, em valor superior a R$ 155,1 milhões. Para esses, o governo do Estado assumiu o pagamento de R$ 37,7 milhões em juros.

Somente o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul financiou 272 projetos num total de R$ 35,8 milhões. Nos projetos que deram entrada no BRDE, o Estado pagou R$ 6,5 milhões como equalização dos juros.

“A energia é um insumo cada vez mais relevante nos processos agrícolas, representando boa parte dos custos da atividade, por isso o Estado decidiu aproveitar essa fonte inesgotável e estimular a geração no próprio sítio”, disse o secretário de Estado da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara. “Temos percebido, com muita satisfação, que a resposta está sendo bem positiva.”


Saiba mais sobre como solicitar um financiamento para projetos de energia solar em www.brde.com.br

5 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page