top of page
  • Foto do escritorJornal do Juvevê

Ocupação GPeTi (DES)CONSTRUINDO MONSTROS na CAIXA Cultural

O GPeTI - Grupo de Pesquisa em Teatro para Infância, em parceria com a Diversa Produções e o Programa Educativo CAIXA Gente Arteira, traz para a Caixa Cultural de Curitiba o espetáculo "NO ARMÁRIO NÃO CABE NINGUÉM!". Na programação de férias há atividades artísticas e experiências imersivas para toda família, com exposição interativa e oficinas para as crianças em curta temporada ao longo de fevereiro.



Durante as férias, uma boa aventura cultural pode enriquecer os dias das crianças, que estão com a energia em alta e prontas para absorver toda e qualquer nova experiência. Pensando nisso, o GPeTI – Grupo de Pesquisa em Teatro para Infância traz para a CAIXA Cultural de Curitiba uma incrível vivência multidisciplinar para toda a família.  De 1 a 18 de fevereiro, a companhia ocupa a galeria de exposições e convida para um mergulho no imaginário infantil.

 

O espetáculo “NO ARMÁRIO NÃO CABE NINGUÉM!” traz para a cena bonecos e objetos manipulados para contar a história de Pi e Tatá: dois monstros que vivem rotinas repetitivas e tediosas. Um dia, depois de uma enorme tempestade que traz ao Vale dos Monstros uma criatura desconhecida, os dois se veem frente a frente com questões profundas sobre si mesmos e a relação que vivem juntos. Permeado de muita diversão e ludicidade, o espetáculo promove diálogos e reflexões sobre relações de parentalidade, tolerância e a convivência com a diferença. A peça teve sua estreia em Curitiba em 2023, com participação em importantes festivais e mostras, como a 7ª Espetacular Mostra Internacional de Artes para Crianças e o 23º Festival Espetacular de Teatro de Bonecos,  tornando-se sucesso de público.

 

Serão realizadas 9 as apresentações, entre os dias 02 e 25 de fevereiro, de sexta a domingo às 16 horas, no Mezanino da Caixa Cultural de Curitiba. O espetáculo tem 50 minutos de duração e os ingressos distribuídos gratuitamente uma hora antes de cada sessão. 

 

Além do espetáculo, uma exposição interativa “(DES)CONSTRUINDO MONSTROS”, coloca as crianças no centro da experiência cultural, propondo jogos e um ambiente interativo em que são convidadas a explorar e a criar suas próprias histórias, como relatam Gabriela Valcanaia e Vinícius Précoma, artistas responsáveis pela direção criativa do projeto. Vinícius explica que a inspiração vem do próprio espetáculo e proporciona uma nova experiência para crianças de todas as idades: "A exposição é um convite para interações entre crianças e adultos, para momentos de socialização e de livre brincar entre os pequenos". A cenografia da peça, indicada ao Troféu Gralha Azul de Melhor Cenário em 2023, também fica disponível para visitação do público.

 

O projeto conta, ainda, com mediações teatrais, que preparam o público para a experiência teatral, sempre com abordagem lúdica e acolhedora. Especialmente no dia 18 de fevereiro, a sessão da peça conta com mediação de acessibilidade para pessoas cegas e de baixa visão, ministradas pela equipe da Casa Consultoria, com atividades para ambientar o público cego à temática do espetáculo. Ao final o público será conduzido a visitar e tatear o cenário e os bonecos, além de conversar com os atores. "As ações de acessibilidade desse espetáculo visam ampliar os estímulos sensoriais, contribuindo para a autonomia de fruição e imaginacão de pessoas cegas e com baixa visão", revela Valcanaia, diretora do espetáculo.

 

Para completar a experiência, a oficina criativa “(DES)CONSTRUINDO MONSTROS”, destinada para crianças de 4 a 9 anos, aos sábados da temporada, sempre às 14h30. Com jogos teatrais e práticas artísticas,  a atividade mobiliza os sonhos, medos e a imaginação das crianças, para refletir e responder sobre as perguntas: "O que é um monstro?" e "O que faz alguém (não) ser um monstro?". Além de divertir, a oficina prepara os pequenos espectadores para uma aventura muito especial no teatro.

 

Por fim, quem conferir a ocupação leva um pedacinho da experiência para casa: uma cartilha, pensada especialmente para as crianças, que visa proporcionar uma experiência completa ao propor o encontro entre o universo da peça e as referências pessoais de cada criança, ressignificando a vivência teatral. “O material apresenta espaços para escrita e desenho, além de dinâmicas sociais, estimulando habilidades relacionais e dando às crianças a autonomia em difundir bens culturais junto a outras crianças", finaliza Gabriela Valcanaia. 

 

 

SOBRE o GPeTI

O GPeTI - Grupo de Pesquisa em Teatro para Infância, sediado em Curitiba/PR, nasce em 2020 do interesse de Gabriela Valcanaia, Lucas Buzato, Vinicius Medeiros e Vinícius Précoma de pensar e produzir teatro contemporâneo para crianças no Brasil, tendo como norteadores, nas pesquisas e produções da companhia, os pilares: A infância como alteridade; A arte-educação; E a inclusão, a acessibilidade e a diversidade. A companhia já trouxe para perto uma série de profissionais renomados na área para pensar e realizar seus projetos.

 

SERVIÇO:

DE 01 A 18 DE FEVEREIRO

CAIXA Cultural de Curitiba (Rua Conselheiro Laurindo, 280 - Centro) 

ENTRADA FRANCA

As atividades da ocupação (DES)CONSTRUINDO MONSTROS possuem limitação de público. Os ingressos para o espetáculo “NO ARMÁRIO NÃO CABE NINGUÉM!” serão distribuídos 1 hora antes do início de cada sessão. Familias com crianças neurodivergentes, cegas ou com visão parcial podem reservar seus ingressos pelo email contatogpeti@gmail.com

Espetáculo Teatral “NO ARMÁRIO NÃO CABE NINGUÉM!”: Sessões de sexta a domingo, às 16 horas.

Exposição Interativa (DES)CONSTRUINDO: Aberta de terça a domingo, das 10h às 20h.

Oficina (DES)CONSTRUINDO MONSTROS: aos sábados (3, 10 e 17 de fevereiro), às 14h30 - Sala de Oficinas. A atividade possui lotação máxima de 20 crianças. Inscrições : https://www.caixacultural.com.br/

Sessão com Mediação de Acessibilidade para pessoas cegas e de baixa visão: 18 de fevereiro, às 14h30 - lotação máxima de 20 pessoas. Inscricões : https://www.caixacultural.com.br/

Foto: Matheus Conrado

13 visualizações0 comentário
bottom of page