top of page
  • Foto do escritorJornal do Juvevê

O futuro falecido.


De volta às plaquinhas de bronze...


Esse também merecia o título de Doutor, porém, aqui no bar era Veloso. Médico, sua esposa também médica, frequentou o bar até pouco tempo quando se mudou para Florianópolis.

Bem quisto, divertido, com o passar dos tempos foi criando manias, de repente se embriagava, ligava para a esposa que, portadora de deficiência, pegava o carro adaptado e vinha busca-lo. Levava o “borracho” para casa e... eis que 10 minutos depois estava de volta.

Quando adoeceu Giba foi escalado como cuidador e não era fácil, Veloso que deveria ficar em casa se cuidando vivia fugindo, fazia de conta que estava dormindo a fim de desarmar a guarda do Gilberto e na primeira distração escapava sorrateiro. Quando foi ser internado, Giba alertou o hospital quanto às habilidades fugidias do paciente, ainda assim Veloso driblou a segurança do hospital e foi pro boteco.

Morava a três quadras de distância e sempre encontrava um desavisado.

Luizinho chegou, pediu a bebida e deu atenção ao Veloso que se fazia de bêbado, ouviu as mazelas. Veloso se queixava do porre e se dizia sem condição de ir pra casa.

Apiedado, Luizinho amparou Veloso e serviu de muleta por mais de meia hora para entregar o companheiro ao lar(que ficava a três quadras daqui)

Cumprida a missão, retornou ao bar para terminar a bebida interrompida, nem 10 minutos depois... entrou no bar pedindo mais uma ninguém menos que... Veloso. Detalhe: voltou pelas próprias pernas sem escolta.

É pra acabar!

Foi ele mesmo que mandou fazer a plaquinha e colou na parede e que diz: “Cantinho do Veloso – Futuro Falecido”.


Watson

27 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Bêbados

Comments


bottom of page