top of page
  • Foto do escritorJornal do Juvevê

MAURICIO DE SOUSA: O PAI DA "GOLDUCHA" MAIS QUERIDA DO BRASIL


A partir de uma série de tiras em quadrinhos com Bidu e Franjinha (o dono do cachorro) publicadas semanalmente na Folha da Manhã, Mauricio de Sousa iniciou sua carreira. Hoje, entre quadrinhos e tiras de jornais, suas criações chegam a cerca de 30 países. Entre as revistas de histórias em quadrinhos mais vendidas do país, dez são de Mauricio de Sousa – atualmente, suas revistas respondem por 86% das vendas do mercado brasileiro. O autor já alcançou o extraordinário número de mais de 1 bilhão de revistas publicadas. Não à toa, é considerado o maior formador de leitores do Brasil. Entre uma viagem e outra, Mauricio de Sousa reservou um espaço e respondeu algumas perguntas para o Jornal do Juvevê.

COMO SURGIU A IDÉIA DE DESENHAR A TURMA DA MÔNICA? MS- Na verdade, tudo começou com o Bidu. Minha primeira tira de jornal foi com o Franjinha e seu cãozinho Bidu, em 1959, no jornal Folha da Manhã (hoje Folha de S. Paulo). Depois vi que, se quisesse viver de desenho, precisaria vender mais títulos de tiras. Criei, então, o Astronauta, o Piteco e Cebolinha.


A Mônica surgiu dentro dessa tira do Cebolinha e ganhou o espaço. Por isso, virou a Turma da Mônica. E o Cebolinha nunca mais foi o dono da rua! EXISTEM E QUAIS SÃO AS DIFERENÇAS ENTRE AS CRIANÇAS QUE LERAM A TURMA DA MÔNICA NO INÍCIO DO SEU TRABALHO E AS DE HOJE? MS- A diferença é que a infância diminuiu. Antes, as crianças, viviam a infância até seus 12 aninhos, quando já entravam na pré-adolescência. Hoje, as crianças com sete anos já acham que são pré-adolescentes. Por isso, criamos a Turma da Mônica Jovem para a turminha de 12 anos em diante. Só que as de sete anos também estão lendo. VEMOS QUE OS ADULTOS QUE LERAM AS HISTÓRIAS DA TURMA DA MÔNICA, ENQUANTO CRIANÇA, CONTINUAM LENDO ATÉ HOJE, COMO O SENHOR EXPLICA ISSO? MS- Porque os adultos viraram pais e agora compram para seus filhos. Assim, nunca abandonam de vez a leitura de um ou outro gibi. Também estamos republicando as revistas dos anos 70 para os saudosistas. Dessa forma, alegramos a todas as faixas etárias. COMO SURGIU A IDÉIA DOS PRINCIPAIS PERSONAGENS (MÔNICA, CEBOLINHA, CASCÃO E MAGALI)? MS- Como expliquei anteriormente, foi de forma natural. Pela necessidade de criar mais e mais histórias. A diversidade de personalidades é que faz uma história ser desenvolvida a partir de uma ideia inicial. Mônica e Magali foram baseadas em minhas filhas de mesmo nome. Cebolinha e Cascão foram amigos de infância. CRIAR HISTÓRIAS INFANTIS É UMA DÁDIVA QUE SURGIU EM QUE FASE DE SUA VIDA?

MS- Eu sempre fui fã de quadrinhos. Então, quando resolvi que queria seguir nessa carreira, fui à Folha da Manhã (atual Folha de S. Paulo) para tentar publicar minhas tiras. Como não consegui, ia saindo da redação todo cabisbaixo quando o jornalista Mário Cartaxo me parou, viu meus desenhos e me deu a dica: tentar entrar no jornal em outra função. Como eu sempre li muito, consegui um emprego como copidesque. Depois de um tempo, houve um concurso e acabei ganhando a vaga de repórter policial. E foi nessa época de repórter que consegui publicar a primeira tira do Bidu, em 1959. Como exercer as duas funções era impraticável, optei por ser desenhista. Ainda bem.


A FORMAÇÃO DE SEUS PAIS (AMBOS ERAM ADEPTOS DA POESIA) CONTRIBUIU PARA QUE VIESSE A TRABALHAR COM HISTÓRIAS EM QUADRINHO?

MS- Felizmente meu pai e minha mãe sempre me incentivaram a ler gibis, mesmo quando isso era considerado prejudicial à educação (dá para acreditar que havia gente que pensava assim?). É claro que o fato de serem adeptos de diversas formas de artes contribuiu para isso.

QUAL É O SEU PERSONAGEM FAVORITO? MS- A preferência não é do autor e sim do público. Fazemos o melhor por todos os personagens e cada um deles vai conquistando seu espaço. Em minha cabeça há uma Turminha em que todos podem se destacar em uma ou outra historinha. O SENHOR CONCORREU A UMA CADEIRA NA ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS (ABL), COMO FOI ESSA EXPERIÊNCIA?


MS - Nesse processo da candidatura, todos que amam quadrinhos, eu incluído, ganhamos quando tanto se discutia sobre a importância dos quadrinhos, o seu papel fundamental na formação de leitores e como eles podem contribuir de diversas formas com a literatura principalmente

Agradeço de coração os apoios que recebi nessa campanha e os que me honraram com seu voto acreditando na minha proposta para a ABL. Eu vou continuar nessa ideia de trabalhar e aprender com os acadêmicos, assim como vem acontecendo na Academia Paulista de Letras.


AOS 88 ANOS DE VIDA, O SENHOR VAI VIRAR FILME, COM COPRODUÇÃO DA DISNEY. O QUE O SENHOR PODERIA EXPLICAR A RESPEITO DESSE NOVO PROJETO?


MS- Vocês vão ver Mauricio criança, jovenzinho e chegando até atualmente, para não dizer idoso. Para minha surpresa, esse filme é uma coprodução com a Disney. Vamos fazer um filme conjugado. Nunca esperei que isso acontecesse com um concorrente. Cinema é uma coisa mágica, realmente. Acho que vamos ganhar uns ‘premiozinhos’ legais. Meu filho Mauro Takeda e Sousa me interpreta quando jovem. O filme será lançado neste primeiro semestre de 2024 e é para toda a família porque tenho leitores que já são avós!


GOSTARIAMOS QUE O SENHOR DEIXASSE UMA MENSAGEM PARA AS CRIANÇAS NESSE DIA DELAS. MS- Alguns países comemoram o dia das Crianças em datas diferentes do Brasil. Na Índia, por exemplo, a data é comemorada em 15 de novembro. Em Portugal e Moçambique, acontece no dia 1º de junho. Em 5 de maio, é a vez das crianças da China e do Japão comemorarem! Como esses, então, nosso 12 de outubro é apenas um dia para lembrar que, a todo momento, estamos festejando a pureza e alegria de uma criança no mundo. Não deixem de ser uma quando crescerem. Faz bem.




45 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

コメント


bottom of page