top of page
  • Foto do escritorJornal do Juvevê

Lola Brasil educa e capacita líderes femininas dentro do movimento pela liberdade




A rede é a principal organização internacional para mulheres engajadas

em propagar a defesa da liberdade econômica, política e civil, estando presente em inúmeras cidades ao redor do mundo


Dentro do universo da política, ainda fortemente dominado pelos homens, as mulheres têm buscado espaço se engajando em movimentos que defendem a liderança feminina e oferecem capacitação para que elas conquistem maior independência na defesa de seus interesses. Um deles é o Lola – Ladies of Liberty Alliance, rede que nasceu em 2009 nos Estados Unidos e está presente no Brasil desde 20


O LOLA reúne, no mundo todo, mulheres líderes independentes e liberais que, por meio de suas carreiras e empreendimentos pessoais, se dedicam a divulgar as ideias de liberdade individual e de uma sociedade mais livre. A rede é, hoje, a principal organização internacional para mulheres no movimento pela liberdade, sendo aberta, de forma gratuita, a qualquer uma que se identifique ou deseje explorar ideias do liberalismo.


“Dada a pouca representatividade feminina no movimento pela liberdade, especialmente no Brasil, nossa missão é educar e capacitar líderes mulheres dentro dessa filosofia”, explica Anne Dias, Presidente do LOLA Brasil. O objetivo, segundo ela, é incentivar e apoiar as mulheres a permanecerem engajadas com a filosofia liberal, promover a liberdade para novos públicos e elevar seu trabalho por meio de oportunidades de liderança e treinamento.


“Nesse sentido, o movimento trabalha para criar uma rede empoderada de mulheres líderes liberais, ativamente engajadas na sociedade civil e na política por meio de grupos sociais exclusivos localizados em cidades de todo o mundo”, completa a Presidente da organização. O trabalho da rede envolve desde a realização de eventos e formação de clubes de leitura até a promoção de cursos de empreendedorismo e defesa pessoal.


Desejo de união – O início do LOLA se deu pela percepção de que as mulheres simpatizantes das ideias liberais e libertárias se sentiam mais sozinhas em seus círculos políticos do que aquelas envolvidas em outras filosofias políticas e expressavam o desejo de se unir e empoderar umas às outras para se tornarem membros mais ativos do movimento pela liberdade.


Programas – Para atingir os objetivos propostos, a rede se apoia em três programas principais. O primeiro deles é chamado de Capítulos Sociais de LOLA, pelos quais o movimento procura estabelecer comunidades locais fortes, construindo relacionamentos de forma que as mulheres se capacitem umas às outras para serem membros ativos do movimento pela liberdade. Respeitando as características de cada grupo, esses capítulos sociais são diferentes em cada cidade, reunindo mulheres em todas as fases da vida, desde estudantes até aposentadas.


O segundo programa é conhecido por Treinamento de Liderança. Por meio dele, as líderes ativas dos capítulos sociais do LOLA são convidadas a participar de um retiro anual. Os tópicos de treinamento incluem: redação de artigos de opinião, treinamento de mídia na câmera, marca pessoal, além de contatos com a comunidade e partidos políticos para falar sobre ideias liberais.


Já o programa LOLA Speakers Bureau oferece um banco de dados com mais de 100 mulheres líderes dedicadas às ideias de liberdade, disponíveis para falar em todo o mundo sobre uma variedade de questões, podendo ser utilizado por produtores de mídia e organizadores de eventos.


“Nós, mulheres, queremos estar na política, defender nossas ideias e mais mulheres na política discutindo temas relevantes”, afirma Anne. “Nesse sentido, o LOLA representa todas as mulheres que estão na política, são batalhadoras, empreendem, trabalham para sustentar os filhos e querem uma representação política. Queremos acolher essas mulheres e mostrar que na política podemos trazer isso”, finaliza.



Foto: Dani Santana

10 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page