top of page
  • Foto do escritorJornal do Juvevê

Interdição de viaduto: desvios de trânsito começam na segunda-feira

Via de ligação entre os bairros Sítio Cercado e Alto Boqueirão, o perímetro bloqueado estará devidamente sinalizado e contará com o apoio de agentes da Superintendência de Trânsito (Setran) nas orientações necessárias aos motoristas.

Foto: Google


O motorista que utiliza a Rua João Miqueletto, continuação da Rua Eduardo Pinto da Rocha, no Alto Boqueirão, precisará fazer desvios no caminho a partir da próxima segunda-feira (14/3). Em razão da interdição do viaduto que liga as duas vias, a partir das 9h, não será permitida a passagem de veículos e de pedestres pelo local. O bloqueio será total e contínuo enquanto durarem os trabalhos de reforço na estrutura do viaduto.


Com o bloqueio do viaduto ao trânsito, o tráfego será desviado pelo seguinte trajeto: quem segue pela João Miqueletto no sentido do viaduto (em direção ao Alto Boqueirão) terá que virar à esquerda na Eduardo Pinto da Rocha e à direita na Rua Guaçuí, seguindo à Tijucas do Sul, depois à direita na Rua Ourizona rumo à Danilo Pedro Schreiner.

No sentido contrário, para quem está próximo ao trecho da Eduardo Pinto da Rocha que se liga à João Miqueletto após o viaduto, o acesso será pela Danilo Pedro Schreiner e sua continuação até Rua Ourizona e conversão à Rua Coronel Joaquim Antônio de Azevedo, seguindo até a Nova Aurora e à Tijucas do Sul, conectando ao seu prolongamento Rua Guaçuí até a estação-tubo Osternack.

Recuperação da estrutura Levantamento sobre as condições estruturais de pontes, viadutos e trincheiras da cidade, contratado pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), aponta a necessidade da interdição do viaduto que liga as ruas João Miqueletto e Eduardo Pinto da Rocha sobre a linha férrea, devido a anomalias detectadas na estrutura pela ação do tempo.

O trabalho será feito pelas equipes dos Distritos de Manutenção Urbana das regionais Boqueirão e Bairro Novo, sob a orientação da Secretaria do Governo Municipal (SGM). As intervenções no escoramento do viaduto deverão durar seis meses.

Depois disso, será possível a passagem de tráfego leve sobre o local, sem riscos à comunidade. O trabalho de escoramento com vigas metálicas será contratado pelo município, com acompanhamento da concessionária Rumo, responsável pela área de domínio da ferrovia.

Já a solução definitiva depende de elaboração do projeto e licitação da obra de recuperação do viaduto. Após a licitação da obra, com a definição da empresa vencedora e a assinatura da ordem de serviço, o viaduto será novamente interditado para que a estrutura seja recuperada.


Fonte: PMC


2 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page