top of page
  • Foto do escritorJornal do Juvevê

Greca anuncia compra de 70 ônibus elétricos para Curitiba em workshop sobre eletro mobilidade

“Com os ônibus elétricos elevamos o transporte público de patamar e fortalecemos a vocação de Curitiba como uma cidade humana e sustentável”, afirma Greca.


O prefeito Rafael Greca anunciou, nesta quinta-feira (11/5), a compra de 70 ônibus elétricos para a Rede Integrada de Transporte de Curitiba (RIT). O anúncio ocorreu durante a participação dele no Workshop Modelos de Negócio para Eletromobilidade, no Complexo Imap no Parque Barigui.


A Prefeitura irá investir R$ 200 milhões, em recursos próprios, na aquisição desse primeiro lote de veículos elétricos para operar no transporte público, como um marco do processo de implantação da eletro mobilidade em larga escala na cidade, dentro do Programa de Mobilidade Sustentável de Curitiba. A previsão é que os ônibus elétricos entrem em operação na rede em 2024.


No mês passado, teve início os primeiros testes técnicos com um ônibus elétrico da chinesa BYD no transporte coletivo. O modelo articulado está circulando, sem passageiros, pelas rotas das linhas Interbairros II, Inter 2 e no Eixo Leste/Oeste.


Estratégias de Curitiba

Organizado pela Prefeitura de Curitiba em parceria com as organizações WRI Brasil e C40 Cities, o Workshop Modelos de Negócio para Eletromobilidade busca consolidar estratégias e integrar ações para a descarbonização das frotas de transporte coletivo, como parte das metas definidas no Plano de Ação Climática (PlanClima) e no plano de governo do município.


"Estamos promovendo testes e desenvolvendo estudos com a participação de representantes de toda a cadeia produtiva de transporte e mobilidade, tanto do Brasil como do Exterior, com o objetivo único de melhorar o serviço ao cidadão curitibano.”


Segundo Jamur, Curitiba avalia três diferentes modelos de negócio de eletromobilidade: contratação única para veículos, energia, operação e manutenção; de dois componentes, com um contrato para veículos e energia e outro para a manutenção e operação; e um terceiro modelo com três componentes, sendo separados os contratos de fornecimento de veículos, infraestrutura de energia e outro para a operação e manutenção.


Estavam reunidos em Curitiba, nos dois dias do evento (11 e 12/5), representantes do Ministério das Cidades e do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES); de organismos financiadores internacionais, entre eles o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), New Development Bank (NDB), Banco de Desenvolvimento Alemão KfW (Kreditanstalt für Wiederaufbau); agências de cooperação internacional, entre elas a alemã GIZ (Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit); fundos de investimento em transporte, como o Fundo Pátria; operadores de transporte; empresas de infraestrutura de energia; fabricantes de ônibus, entre elas Volvo, Mercedes, Eletra, Marcopolo, BYD, Higer e Yutong; representantes do terceiro setor, como Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento (ITDP), da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep) e integrantes das administrações públicas estadual e municipal.


“Com este quórum qualificado poderemos trabalhar todos os cenários possíveis para e entender e definir o que mais se enquadra ao contexto curitibano, ao que pretendemos como inovação e à realidade de Curitiba”, completa o presidente do Ippuc.


Fonte: PMC

FOTO: Ilustração IPPUC

5 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page