top of page
  • Foto do escritorJornal do Juvevê

FELIZ DIA DAS MÃES


“Minha maior dificuldade foi adaptar-se a nova rotina, pois fiquei com toda a responsabilidade, minha guarda é unilateral, onde o genitor não se faz presente, apenas ajuda com a pensão mensal de 407,00R$, ter que recomeçar do zero com duas crianças, que na época uma tinha oito anos e o menino 6.


Graças a Deus eu tive apoio da minha mãe e irmão, que também é mãe solo, foram eles que me levantaram, pois entrei em profunda depressão na época, hoje Graças a Deus e eles, continuo seguindo firme e forte, não casei novamente, hoje minha família é meus filhos, nossa gata e casa.


Por ser filha de mãe solo, eu acredito que é  possível sim, como disse sou filha de mãe solo e aprendi com ela que nessa vida tudo é possível, claro que tem cobranças como, o porque o pai não dá atenção, não convive, não os amam, mas digo que vai de cada um, eu Amanda tenho uma educação e a mesma educação passo aos meus filhos, claro que sabemos que o amor da figura paterna é insubstituível, mas os danos psicológicos são grandes, cabe a você decidir que quer sofrer ou seguir em frente, eu sigo em frente sempre, não desejo o mal, mas também não desejo que faça o convívio com minha família, cada um no seu canto.


Referente ao preconceito, existe todos os dias, isso ocorre no trabalho e vida pessoal, com perguntas como: com que você deixa para trabalhar, quem cuida deles nesse período, caso precise viajar, quem vai cuidar é por aí vai, já na vida pessoal, principalmente quando vamos sair, dar uma volta ou querer respirar um pouco, a pergunta é: e o pai ajuda?


Quanto você ganha de pensão? Você pensa em voltar? Coitados a mãe não dá atenção a eles.


Eu já estou acostumada com esse tipo de preconceito e rebato sempre. Então já estou acostumada.


Se é fácil? Nunca, mas como sempre digo, um dia eu vou ouvir dizer que a minha mãe foi e sempre será meu tudo e todo, por somente nós mães podemos dizer o quanto não medimos o amor pelos nossos filhos.


Sabrina e Yuri sempre serão a minha escolha, indiferente de qualquer situação, se hoje sou essa mulher de força e garra é porque duas pessoinhas me deram forças, e sou a mulher mais feliz do mundo.”


Amanda Vitorino Ferreira

11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page