top of page
  • Foto do escritorJornal do Juvevê

Encontro entre representantes da Sociedade Civil e Poder Público Municipal trata de melhorias para a


A Associação Comercial do Paraná – ACP, em parceria com o Sindicato da Habitação e Condomínios do Paraná – Secovi-PR, promoveu nesta terça-feira (30) um encontro de empresários e representantes da Sociedade Civil Organizada com o Poder Público Municipal para debater problemas e melhorias para revitalização da região

Presidente da ACP Antonio Gilberto Deggerone

central de Curitiba.


O encontro faz parte das ações do projeto Centro Vivo, coordenado pela ACP, e visou colher sugestões para contribuir com a urbanização, segurança e boas condições para o comércio e habitação do espaço.


“A reunião é muito importante não só para o comércio, mas para a vida no Centro. Ela faz parte da reativação do Conselho Centro Vivo que já foi da casa para que nós possamos, junto com o SECOVI, defender o Centro como um ambiente de prazer para transitar, comprar e passear todos os dias”, contou o presidente da ACP, Antonio Gilberto Deggerone.


Uma iniciativa que pretende contribuir com o trabalho que já realizado pela prefeitura da cidade trazendo um ambiente convidativo para as pessoas. “É importante a prefeitura saber também que tanto a ACP como o Secovi Paraná estão dispostas e de mãos juntas para contribuir com essa revitalização e fazer o cidadão sentir a segurança de poder voltar a transitar pela região.



O Secovi-PR representa aqui as imobiliárias e condomínios trazendo ideias que são apresentas pelos síndicos para as nossas imobiliárias, uma união que só tem a trazer benefícios para os comerciantes e moradores”, destacou o presidente do Secovi-PR, Ricardo Hirodi Toyofuku.


São ideias e propostas que passam a ser colhidas pelas organizações e levadas ao Poder Público considerando a mudança do perfil dos frequentadores da região, o horário de comércio flexível desde o final de 2022. “Hoje nós temos a legislação que permite essa liberdade econômica e o comércio poder usar da estratégia do horário flexível para tentar estender um pouquinho mais esse movimento da região e atrair mais pessoas. Neste sentido, a prefeitura conta com o trabalho bastante efetivo da Guarda Municipal e da Muralha Digital que dá mais segurança aos comerciantes e aos cidadãos”, reforçou a administradora regional da Matriz, Rafaela Lupion.


Administradora da Regional Matriz Rafaela Lupion

Este ponto também foi destacado pelo secretário do Departamento de Políticas Sobre Drogas, Péricles de Matos, que apresentou a estrutura de segurança e um relatório situacional das ações desenvolvidas considerando a dinâmica populacional na região. “Eu tenho o máximo de respeito pela ACP e Secovi-PR em propor essa ação, é preciso aproximar o morador da administração pública, pois existe um distanciamento normal por conta do formalismo e da própria organização do município, mas quando você está próximo você coleta as necessidades para apresentar soluções de uma maneira sinérgica para a população da cidade”, disse.


Ele ainda destacou que as ações de inteligência da Guarda Municipal, em conjunto com outras secretarias da prefeitura e ações sociais, tem alcançado bons resultados no combate ao crime. “Onde colocamos uma câmera da Muralha Digital, nós temos um impacto de redução de 40% da criminalidade naquele local porque quem frequenta sabe que está sendo monitorado”, reforçou.


A reunião ainda contou com a apresentação das ações desenvolvidas pela Fundação de Ação Social – FAS, por meio de sua presidente, Mari Alice Erthal, e pela Secretaria Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional, com o secretário Luiz Dâmaso Gusi. Além de esclarecer dúvidas e ouvir sugestões de comerciantes e empresários da região central.


“Nós não poderemos focar apenas em um ou dois projetos porque as ações precisam ser muitas. O que nós precisamos realmente é que a sociedade dentro desse processo que é realmente enorme, nós comerciantes vamos precisar contar também com o apoio de advogado de arquitetos para apresentar a prefeitura projetos e não apenas críticas e questionamentos que não vão contribuir com a construção de algo melhor”, conta o coordenador do Centro Vivo da ACP, Jean Michel Galiano.

19 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page