top of page
  • Foto do escritorJornal do Juvevê

Educação integral é zelo por Curitiba e dá às crianças aprendizado ampliado e autonomia

“A educação integral garante aos nossos alunos o protagonismo, um espaço de interação com estudantes de diferentes escolas e idades em um local apropriado como as UEIs (Unidades de Educação Integral) para práticas educativas e complementares de aprendizagem, ao despertar uma consciência mais profunda, abrangente e integrada com a vida, o futuro e a sociedade”, destacou a gerente da Educação Integral em Curitiba, Michelle Taís Faria Feliciano.

Com uma estrutura pedagógica de trabalho planejada e adequada aos estudantes atendidos nas escolas da Prefeitura, a Educação Integral em Tempo Ampliado em Curitiba traz uma concepção fundamentada em autonomia, liberdade do ser, percepção de espaço e ampliação de aprendizado.


A aplicação prática desses conceitos, defendidos por pensadores como Anísio Teixeira, Paulo Freire e Darcy Ribeiro, permite, em diferentes níveis, uma visão mais sistêmica do futuro e da vida, a construção de cidadãos mais conscientes de si mesmos, da sociedade, o desenvolvimento cognitivo mais abrangente e coeso aos atuais movimentos do mundo moderno.


Avanço integral

Em Curitiba, a concepção de autonomia e protagonismo implantada nas unidades de educação integral avança para contemplar todas as 183 escolas municipais. Ao todo, 153 unidades já ofertam a educação integral . A expectativa, segundo Michelle Taís, é contemplar todas as escolas até o fim de 2024.


O discurso condiz com a prática. Somente em 2023, 30 escolas passaram a oferecer esse modelo de atendimento. Além disso, para alcançar 100% das escolas com oferta de educação integral, restam apenas 29 unidades escolares. A rede municipal registra, atualmente, 132.934 mil matriculados e 27.700 crianças e estudantes são atendidos em tempo ampliado.


Ainda nos registros da RME, 4.529 crianças formam turmas de pré-integral e 23.189 estudantes em anos iniciais nas escolas do município.


Planejados para o futuro

Com a expansão da oferta do ensino do templo ampliado, a partir de 2017, várias ações foram planejadas e executadas para suprir essa demanda. Uma das principais medidas, ainda em 2021, foi a escolha de espaços mais adequados para o atendimento dos estudantes com necessidade de mais tempo ocupado com atividades de complemento nas escolas.


Foram criadas, assim, as chamadas Unidades de Educação Integrada (UEIs). Três espaços na cidade passaram por adequações importantes para atender os estudantes dentro da concepção de ampliação de aprendizado: UEI Integrada Curitiba 330 anos – Boa Vista, UEI Integrada Tatuquara e UEI Integrada Portão.


Amplos, com refeitórios modernos, espaços para horta e área exclusiva para o desenvolvimento do Projeto Mão na Massa, os três espaços foram revitalizados para receber aproximadamente 600 estudantes cada um.


Na prática, as UEIs permitem aos estudantes um universo particular com várias atividades de aprendizado continuado, sociabilização, desenvolvimento de inteligência emocional e cognitivo também. Desse modo, os espaços são utilizados pelos estudantes que frequentam o período da carga obrigatória na escola, sempre no horário do contraturno.


Sistema vinculado

Para facilitar o acesso às UEIs, a Prefeitura oferece ainda transporte, todos os dias, para levar os estudantes até a sede de cada UEI, em períodos alternados. Ou seja, os estudantes matriculados pela manhã, são encaminhados aos UEIS na parte da tarde, para as práticas escolares. As crianças do período matutino seguem para as unidades ao meio dia, quando almoçam e permanecem nas UEIs para a programação diária.


Cada UEI, portanto, é vinculada às escolas sediadas na mesma região da unidade. O atendimento da UEI Boa Vista, por exemplo, está relacionado às escolas municipais Cerro Azul, Jaguariaíva e Raul Gelbek. Nessa UEI, são atendidas, em turnos alternados, manhã e tarde, 201 estudantes. Cento e onze na parte da manhã e 90 estudantes no período diurno. Cada UEI conta ainda com três articuladoras de cada escola e uma coordenadora geral.


Articulação Pedagógica

Na UEI Boa Vista, a coordenadora é Suzane Veríssimo Valério. O trabalho dela é preservar e mediar a relação entre as três escolas municipais da região e a unidade maior, no caso a UEI Boa Vista. “Meu trabalho é manter organizada a estrutura pedagógica, o planejamento das atividades e fazer essa relação saudável e integrativa, entre as escolas, as professoras, pais, estudantes e o atendimento aqui na UEI Boa Vista”, disse.


A UEI Boa Vista, no bairro Barreirinha, representa perfeitamente o modelo da educação ampliada. A unidade funciona de segunda à sexta-feira, das 8h às 11h e das 12h às 17h.


A UEI Boa Vista possui nove salas de aulas, uma quadra esportiva e recreativa, quatro salas de aula com banheiro, um espaço maker/leitura, um espaço de robótica, um espaço para o projeto Mãos na Massa de Gastronomia e outro para Artesanato, Costura e Customização. Além disso, inclui dez banheiros (sete para estudantes, um adaptado, um para professores e um para equipe de terceirizados). Todas as UEIs do município mantêm padrão de qualidade e oferecem serviços acessíveis aos estudantes. Práticas

A Prefeitura oferece sete práticas educativas em cada UEI: Matemática, Língua Portuguesa, Artísticas, de Movimento, de Educação Ambiental, de Ciência e Tecnologia, e, se houver um profissional habilitado, de Língua Estrangeira.

As Práticas de Língua Portuguesa parecem unanimidade entre os estudantes. Lucas França de Oliveira (10 anos, matriculado no 5.º ano) da Escola Municipal Raul Gelbeck; Giovana Mayumi (8 anos, matriculada no 3.º ano) da EM Cerro Azul; e Luan Santana Bueno (9 anos de idade, matriculado também no 5.º ano), na EM Jaguariaíva, adoram a atividade.

O mesmo entusiasmo é compartilhado pela professora Priscila Lopes. Há seis meses na UEI Boa Vista 330 anos, diz-se feliz, alegre e grata pela oportunidade de ensinar as crianças em um espaço preparado funcionalmente, em estrutura, concepção de ensino e aprendizagem. “Sou muito grata em estar aqui, ensinar as crianças de um modo diferente e prático, provocando a interação e também o desenvolvimento dos estudantes para a vida”, destacou.

Mãos na Massa Também estão em fase de implementação e adaptação nas unidades o programa Mãos na Massa e Robótica – Economia Doméstica para os Estudantes da RME de Curitiba. Dentro da concepção do protagonismo, o projeto visa desenvolver o potencial dos estudantes, de modo prático, para transformá-los em cidadãos autônomos, ao afirmar ainda Curitiba como Cidade Educadora.

Atualmente, o programa já atende 993 estudantes do 6.º ao 9.º ano e contempla 11 escolas municipais. Sete dessas escolas oferecem o programa aos estudantes do 5.º ano. São ainda nove espaços de gastronomia, com todos os 259 estudantes de 6.º ao 9.º matriculados, 169 alunos de anos iniciais, somando 428 estudantes. No programa, são também sete espaços de Artesanato, costura e customização, com 358 estudantes de anos finais e 207 de anos iniciais, totalizando 565 matriculados.


Fonte: PMC

Foto: Levy Ferreira/SMCS


3 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page