top of page
  • Foto do escritorJornal do Juvevê

Curitiba supera efeitos das chuvas com grandes obras e programas ambientais da Prefeitura

"São várias frentes de trabalho por toda a cidade, com grandes obras de combate às inundações e a realização de programas, como Curitiba Contra Cheias, Amigo dos Rios e 100 Mil Árvores, com o objetivo de minimizar os efeitos das chuvas fortes provocadas pelas mudanças climáticas", salienta o prefeito Rafael Greca.

O significativo investimento da Prefeitura de Curitiba em obras de macrodrenagem, em programas para mitigar os efeitos das mudanças climáticas, como o 100 mil árvores e o Amigo dos Rios, e em campanhas de sustentabilidade e conscientização, como a volta da Família Folhas, mostrou ser eficaz para a minimização dos alagamentos na cidade provocados pelas fortes chuvas dos últimos dias.


A cidade comprovou ter um sistema eficiente de drenagem, registrando apenas situações pontuais de alagamentos mesmo diante de condições climáticas desafiadoras - em cinco dias, algumas regiões acumularam mais de 200 mm de chuva, mais que o esperado para todo o mês de outubro (144 mm) pelo Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar).


De acordo com ele, a capital atua em várias frentes para mitigar os efeitos das mudanças climáticas, que sofrem influência também do fenômeno La Niña, que resfria a água dos oceanos e altera o regime de chuvas, e dos desmatamentos das florestas, que causam importante desequilíbrio ecológico.


"Todas as ações estão alinhadas ao Plano Municipal de Mitigação e Adaptação às Mudanças Climáticas (PlanClima), um legado que estamos deixando para as futuras gerações", completa Greca. A capital ainda reforçou sua participação na rede C40, de cidades unidas na luta contra as mudanças climáticas.


Sistema de drenagem

O trabalho desenvolvido pelo município nos últimos sete anos permitiu que a água escoasse rapidamente assim que a chuva cessou, demonstrando a eficiência do sistema de drenagem da cidade e ressaltando a importância dos investimentos em infraestrutura e sustentabilidade realizados pela administração municipal.


Desde 2017, 24 obras de drenagem foram realizadas, sendo que 17 delas foram iniciadas e concluídas em menos de um ano. Outras cinco obras com a mesma finalidade estão em andamento, totalizando um investimento de R$ 258,7 milhões. Além disso, mais de 11.600 ações foram empreendidas, incluindo a execução de 40.946 metros de galerias de águas pluviais e a limpeza de 363.455 metros de rios e córregos na cidade.


Limpeza dos rios

Uma das principais ações para reduzir os danos de tempestades é a limpeza constante dos rios e córregos da cidade.


O programa Curitiba Contra Cheias, executado pelo Departamento de Pontes e Drenagem da Secretaria Municipal de Obras Públicas (Smop), realiza serviços de drenagem e limpeza para reduzir os efeitos das tempestades.


No âmbito do programa, intervenções são realizadas para remover objetos e sedimentos que poderiam obstruir os canais de escoamento, contribuindo para a redução da possibilidade de enchentes.


Somente nos primeiros nove meses deste ano, foram realizadas 112 intervenções, abrangendo 35 km de rios, córregos, valas de drenagem e canais, com uma média mensal de 4.212 metros de limpeza. Desde o início da gestão, em 2017, foram limpos impressionantes 382.155 metros de cursos d'água na cidade.


Exemplos dessas ações incluem trabalhos no Rio Belém, em diferentes trechos e momentos, onde resíduos e sedimentos acumulados no leito foram removidos com a ajuda de uma escavadeira hidráulica; no Ribeirão dos Padilhas, no bairro Alto Boqueirão, também desassoreado com a ajuda de equipamento mecânico; e no Rio Cascatinha, no bairro de mesmo nome, bem como no córrego Henry Ford, que corta os bairros Fanny, Lindoia e Parolin.


Amigo dos Rios e 100 mil Árvores

Outras medidas do município se somam às ações da Secretaria Municipal de Obras Públicas. São programas da Secretaria Municipal do Meio Ambiente que promovem melhorias ambientais com a participação da comunidade e consistem, basicamente, na limpeza dos corpos hídricos e na recomposição da vegetação nativa.


A equipe Amigo dos Rios está constantemente monitorando os rios e córregos da cidade, realizando limpezas para remover não apenas materiais vegetais, mas também itens descartados indevidamente pela população, como sofás, fogões e colchões.


Alinhada às diretrizes globais de gestão dos riscos causados pelas mudanças climáticas, a Prefeitura investe ainda em ações relacionadas ao combate às mudanças climáticas e à contenção das cheias. Com essas iniciativas, demonstra um compromisso contínuo com a preservação de seus recursos hídricos e a segurança de seus cidadãos diante das adversidades climáticas.


Já o Desafio 100 mil árvores, lançado em 2019, vem sendo renovado e resulta em 400 mil árvores plantadas até agora por toda a população e o poder público.


Curitiba Mais Energia

O programa municipal Curitiba Mais Energia, coordenado pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente, visa popularizar o uso da energia limpa na cidade. Além da Pirâmide Solar de Curitiba - Parque Fotovoltaico da Caximba, inaugurada em março de 2023 e a primeira do gênero na América Latina em um aterro sanitário, o Curitiba Mais Energia já foi responsável pela implantação de painéis fotovoltáicos no Palácio 29 de Março, no Salão de Atos do Parque Barigui, na Fazenda Urbana de Curitiba e na Galeria das Quatro Estações do Jardim Botânico. Até o fim de 2024 esses painéis solares também chegarão a terminais de ônibus e à rodoferroviária.


O Curitiba Mais Energia conta também com 78 casas populares com painéis solares dentro do programa Cohab Solar e com a mini-usina hidrelétrica CGH Nicolau Kluppel, que gera energia na queda d’água do Parque Barigui.


Bairro Novo da Caximba

E os problemas causados pelas fortes chuvas dos últimos dias no bairro da Caximba estão com os dias contados. Com o financiamento de US$ 57 milhões da Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), a Prefeitura de Curitiba está construindo o Bairro Novo da Caximba, que será o primeiro bairro inteligente do Brasil e o maior projeto socioambiental da história recente de Curitiba. Com a obra, o município vai promover o reassentamento de 1.147 famílias que hoje vivem em situação de vulnerabilidade social e sanitária, em uma ocupação irregular na Área de Preservação Ambiental das bacias dos rios Barigui e Iguaçu.


Além das casas, o Bairro Novo da Caximba ainda receberá um parque linear, obras de infraestrutura de água e esgoto, bem como iluminação pública e novos equipamentos de saúde, educação e assistência social. A criação do parque linear irá ajudar a diminuir a erosão, o assoreamento e as inundações.


As obras das primeiras 752 casas do Bairro Novo da Caximba começaram em outubro de 2022. As entregas para a população das novas residências terão início em 2024.


O projeto do Bairro Novo da Caximba envolve vários órgãos do municipio, como secretarias municipais de Obras, Meio Ambiente, Governo, Saúde e Educação, bem como o Ippuc e a Cohab.


Campanha de conscientização

Além disso, a Prefeitura de Curitiba promove campanhas de conscientização para a população, enfatizando a importância do destino correto de resíduos e de não jogar lixo nos rios. O descarte inadequado de materiais como terra, lixo e móveis contribui para o assoreamento dos rios, aumentando o risco de alagamentos.


A volta da Família Folhas, os simpáticos personagens que inspiram crianças e adultos a atuarem de forma sustentável no dia a dia, tem contribuído para motivar os cidadãos a adotarem práticas de proteção do meio ambiente.


A cidade oferece diferentes opções para o descarte correto de resíduos, incluindo a coleta de lixo comum, lixo reciclável, lixo tóxico e lixo eletrônico, bem como a disponibilidade de Ecopontos para o descarte de entulhos.


A Prefeitura pede à população que colabore com a manutenção da limpeza dos rios e margens e possibilita a denúncia de descarte irregular de lixo nestas áreas pelo telefone 156.


Os cidadãos também podem solicitar serviços de manutenção, limpeza e desobstrução de valas, galerias de águas pluviais e caixas de captação pela Central 156, contribuindo assim para a manutenção da rede de drenagem.


Fonte PMC

Foto: Ricardo Marajó/SMCS

2 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page